Bruxismo

Bruxismo

Odontologia
Typography

Você já ouviu falar em Bruxismo?

Não é bruxaria, é sim um hábito involuntário de friccionar e ranger os dentes, em resposta a uma desordem funcional. Bruxismo é um termo utilizado pela odontologia para o caso citado e é um assunto de grande interesse para o cirurgião-dentista, por se tratar de um hábito para funcional cada vez mais comum

O que causa?

 

O bruxismo é normalmente causado por stress, ansiedade ou emoções negativas, mas pode estar ligado a fatores genéticos ou a problemas físicos de oclusão ou fechamento inadequado da boca.

Quando ocorre?

Comumente a tensão é liberada durante o sono, é o momento em que o paciente mais atrita os dentes.

No que pode resultar?

Essa pressão pode provocar desgaste e amolecimento dos dentes. Nos casos mais graves, podem ocorrer também problemas ósseos, na gengiva e na articulação da mandíbula.

Qualquer pessoa pode ter?

O bruxismo afeta uma grande parcela da população, a prevalência varia de 15 a 90% em adultos e 7 a 88% em crianças e em ambos os sexos.  A incidência tende a diminuir com o passar dos anos.

Quando o problema se manifesta durante o dia, recebe o nome especial de briquismo.

Quando é diagnosticado?

Somente alguns casos são diagnosticados precocemente, pois a pessoa portadora desse hábito não sabe o barulho que faz e continua dormindo tranqüilo. Em compensação, a companheira ou companheiro que dorme ao lado é quem dá o alarme, avisando, na maioria dos casos, tardiamente, sobre o barulho e com o desgaste dos dentes já iniciado.

E como o paciente pode perceber por si próprio que range os dentes?

O paciente deve ficar atento ao desgaste e amolecimento dos dentes. Dor de cabeça é o sintoma mais comum do ranger dos dentes. Isso acontece porque a compressão exagerada dos dentes pode levar à isquemia dos vasos que entram no ápice da raiz e em casos mais avançados pode ocasionar necrose dos vasos, dos nervos e da polpa dentária. Zumbidos e dores de ouvido também podem ser sintomas ocasionados pelo bruxismo, além de dores no pescoço, na mandíbula e nos músculos da face por causa do esforço realizado pelos músculos da mastigação. Estalos ao abrir e fechar a boca, alterações do sono são outros sinais frequentes.

Como o dentista poderá ajudar nestes casos em que o problema inicial está relacionado com problemas emocionais, tensões físicas e psicológicas?

O dentista irá diagnosticar o bruxismo, o padrão de desgaste dos dentes, relatos de dores de cabeça e músculos da mandíbula cansados ao acordar e indicará a colocação de um aparelho específico noturno que dará proteção aos dentes e alívio da dor. Mas paralelo a isso, será imprescindível que o paciente escolha algum tipo de terapia que possa avaliar sua qualidade de vida e os motivos e decorrências do stress que vem enfrentando para que possa buscar o tratamento adequado.

Como tratar o Bruxismo?

O “feitiço”, ou melhor, o tratamento apropriado decorrerá do que está causando o problema. Dependendo da avaliação do dentista o uso de um dispositivo quando dormir poderá ser uma solução. São placas confeccionadas em resina acrílica, que ajudam a preservar os dentes, evitando maior desgaste. Feito sob encomenda pelo dentista, o aparelho é ajustado aos seus dentes, o dispositivo é uma espécie de forma dos dentes e encaixa-se sobre a arcada superior e protege do atrito com os dentes inferiores. Nas crianças, a placa é feita de silicone. As placas geralmente são usadas à noite, mas em alguns casos há uma placa mais fina ideal para quem precisa utilizá-la durante o dia. Apesar de o dispositivo ser uma boa maneira para lidar com bruxismo, ele não representa uma cura. Meios de relaxamento que aliviam a tensão cotidiana e podem contribuir, uma vez que o ranger dos dentes pode ser decorrência de stress. Procurar alguma terapia auxiliará no aprendizado de meios eficazes de controlar situações estressantes.

Reduzir a “exposição” de um ou mais dentes para igualar sua mordida, aquelas em que os dentes não se ajustam bem, também pode ser corrigido com restaurações, coroas ou ortodontia. O ranger dos dentes apresenta etiologia ampla, onde a gravidade do dano tende a variar em cada indivíduo. Além do tratamento odontológico é necessário um acompanhamento multidisciplinar com abordagem terapêutica, a começar pela conscientização do paciente em relação aos seus hábitos. Não há um tratamento incisivo adotado, sendo assim, a inter-relação profissional x paciente deve ser completa, juntamente com outros profissionais da área de saúde para garantir ausência da sintomatologia e do desconforto.

Em que casos ocorre o bruxismo infantil?

As crianças que apresentam o ranger dos dentes, na maioria das vezes são crianças agitadas, ansiosas, à vezes medrosas, podem ter uma personalidade forte, não gostam de ser contrariadas e não sabem lidar muito bem com frustrações. São agitadas até na hora de dormir e não se entregam ao sono até ficarem exaustas. Os aspectos psicológicos tais como: agressões reprimidas, problemas escolares e familiares devem ter uma atenção especial, pois se observa um aumento da ansiedade da criança por não conseguir assimilar ou exteriorizar o problema. O diagnóstico precoce e a necessidade de tratamento trará um benefício tanto ao nível dentário, como também em muitos casos psicológicos.

Recomendações:

  • Consulte o dentista com regularidade;
  • Evite apertar os dentes, quando estiver empenhado em uma tarefa ou situação mais complicada;
  • Procure não mascar chicletes ou mordiscar sistematicamente objetos duros, como pontas de lápis e canetas, por exemplo;
  • Faça exercícios. A prática regular de atividade física ajuda a controlar o estresse e as crises de ansiedade que podem favorecer o apertar dos dentes;
  • Não se esqueça de colocar a placa interoclusal antes de dormir. Se o problema se manifestar também de dia, use-a sempre que possível.